Apetite Olímpico

Matéria original no site da Mormaii

Braçadas firmes rumo à vitória | Foto: Satiro Sodré / SS Press
Braçadas firmes rumo à vitória | Foto: Satiro Sodré / SS Press

Você sabia que a quantidade de líquidos ingerida influência sua flutuabilidade?

Leonardo de Deus conta esse e outros detalhes sobre como funciona a dieta de um nadador olímpico.

Fome de títulos

“Estou aqui para dividir com vocês um pouco da minha vida como atleta de natação, meus treinos, minha alimentação e meu descanso.

No Brasil, geralmente a CBDA – Confederação Brasileira de Natação – divulga o calendário da temporada que começa em janeiro, diferente de muitos outros países que têm natação de alto nível, porém em qualquer lugar do mundo o trabalho é sempre direcionado para a competição alvo (principal).

Nos primeiros três meses de treinos fazemos a base, que servirá para estruturar todo o trabalho de treinamento do ano.

Neste período, chamado de base, nadamos longas quilometragens.

Em um dia chegamos a nadar aproximadamente 12 mil metros (bastante coisa).

Além disso, temos a preparação física que envolve a parte anaeróbia (velocidade), aeróbia (resistência) e força (musculação).

Para 2014, a competição mais importante do calendário mundial é o Pan Pacífico, na Austrália, em agosto.

Cada vez mais o esporte tem evoluído e buscado o trabalho multidisciplinar, onde todas as partes são importantes e o detalhe faz a diferença.

Uma dessas partes, muito importante da minha vida como nadador, é a alimentação.

Sem ela, não é possível aguentar as muitas horas de preparação física dentro e fora d’água.

Você é o que você come...

Nosso corpo não foi projetado para estar sempre em alto rendimento e precisamos de combustível de qualidade para fazer a nossa máquina funcionar.

Por isso, sigo com uma alimentação regrada, balanceada e com suplementação controlada, considerando que, devido o nível de esforço que nós atletas fazemos, não conseguimos repor tudo o que foi gasto só com a alimentação normal.

Neste momento entra minha nutricionista esportiva que segue a linha do alimento, então ela procura montar um cardápio completo, deixando os suplementos apenas para a compensação necessária.

Com relação a minha alimentação, faço no mínimo 6 refeições por dia.

Pela manhã, como antes e depois do treino, depois almoço.

Durante a tarde, lancho antes e depois do treino, janto e, quando necessário, faço uma ceia.

Meu cardápio é equilibrado com proteínas, carboidratos e gordura.

Alimentos integrais também fazem parte da minha dieta diária, assim como frutas, verduras e legumes.

É importante dizer que a banana sempre foi uma fruta muito importante na minha dieta para evitar câimbras, isso também associado a quantidade de água.

Tenho que beber muita água, vitaminas e sucos naturais para manter os ossos e músculos hidratados, pois este detalhe influencia muito na flutuabilidade do atleta.

Antes do treino eu consumo alimentos integrais, pois eles têm uma curva de absorção mais equilibrada, me garantindo energia por mais tempo durante a carga de esforço.

Pela manhã, antes do treino o pão é o integral.

Após o almoço eu tiro um cochilo de no máximo 50 minutos.

Este descanso é essencial e dá qualidade no treino da tarde.

A boa alimentação e o sono adequado são um rápido repositor, fundamental para qualquer atleta.

Durante o treino é mandatório eu ir para a piscina com duas garrafinhas, uma garrafinha de água e a segunda com líquidos repositores.

Depois do treino, sempre como alimentos à base de carboidratos simples (lanche com pão branco) e também proteína, pois eles são rapidamente digeridos e absorvidos e, assim, já repõem o que meu corpo precisa para a próxima jornada de treinos na parte da tarde, sem causar desgaste.

As grandes refeições – almoço e janta – são bem regradas e balanceadas, para repor o que gastei durante a jornada do dia, ou seja, a quantidade certa.

Quantidade essa que varia de acordo com a necessidade energética, peso e período do treinamento.

Dizem que atleta tem muita fome e nós temos mesmo.

Aprendi que o atleta, muitas vezes, não ingere o alimento que mais lhe agrada, mas sim o que mais precisa, e isso é um detalhe pontual que faz muita diferença, acredite nisso!

Bom, é isso aí galera. Boas braçadas, valeu!”

Leo curtindo seu habitat

About the Author

By leogdeus / Administrator on Fev 03, 2014

No Comments

Leave a Reply