FAZ PENSAR

Tenho pensado muito sobre minha situação atual, e achei um artigo interessante do Luis Marins, e que divido com os leitores do Blog:

“Você já reparou como há pessoas que querem uma norma, uma lei, um tratamento totalmente diferenciado, cheio de benefícios para si mesmas e outra norma, outra lei, outro tratamento, agora sem nenhum benefício para outras pessoas?
Já reparou quantas pessoas querem vantagens para si e criticam essas mesmas vantagens quando dadas a outrem?
Já viu quantas pessoas acham justo que se abram exceções quando se trata de beneficiar a si mesmas e negam qualquer exceção aos outros?

Você já reparou como certas pessoas se esquecem com facilidade dos benefícios que receberam no passado e são as primeiras a criticar algum benefício dado a outrem no presente?
O senso de justiça de muitas pessoas parece ser diretamente proporcional aos benefícios que querem para si e que negam aos outros. Elas não enxergam a incoerência de suas argumentações quando se acham cheias dos mesmos direitos que exigem e que não dão aos outros.

Para se ter um ambiente de trabalho sadio, propício à inovação e à criatividade, onde as pessoas se sintam bem e tenham vontade de dar o melhor de si, é preciso, no mínimo, coerência e justiça.
É preciso que benefícios sejam dados segundo um critério de mérito e equidade – a verdadeira meritocracia – onde todos tenham as mesmas oportunidades de crescer, os mesmos direitos e deveres inerentes a cada função ou atividade. Não se trata só de igualdade, mas sim de equidade.

Trata-se de permitir a cada um que desenvolva seus talentos e permitir que todos tenham a oportunidade de desenvolvê-los.
Um chefe nunca pode perder a sensibilidade de subordinado que foi um dia, para assim ajudar seus liderados a crescer, sem o medo da concorrência deles, ou de perder o seu lugar, dando o mérito a quem faz, dando crédito a quem realiza, reconhecendo o valor de cada um.

Um chefe, tem que ser, antes de tudo, justo.
E justiça significa reconhecer a unidade na diversidade e fazer valer a mesma lei para todos e não “uma lei para você e outra para mim”. Luiz Marins

Pense nisso. Sucesso!

Leonardo de Deus

About the Author

By leogdeus / Administrator on Mar 14, 2011

Comment (1)

  • Patricia

    Oi, Léo. Moro em BH e um dia tive a grande honra de te ver nandando pelo Minas Tênis Clube. Um dia, que pena, você se foi… Continuei sua fã e sempre serei. Você é um grande exemplo de atleta e merece respeito de todos. Respeito pelo desejo de ser o melhor. Pelo desejo de ser o maior diante da nossa bandeira, do nosso hino. Não se intimide por nada. Tenho certeza que você nos representará lindamente pelo mundo, onde certamente receberá por nós, que não temos o seu talento, o reconhecimento e, claro, a tão almejada medalha de ouro. Força sempre. Conte comigo na torcida por você e todos que estão ao seu lado. Força P.R.O. 16!!!! Beijos

Leave a Reply