Visão de Atleta – Minha Última Competição em 2014

Olá pessoal, Hoje o Visão de Atleta vai falar um pouco sobre a minha performance na última competição de 2014, que foi o Brasileiro Sênior e o Torneio Open.

DSC_0414

DSC_0301

Falando também da minha trajetória depois de um ótimo Pan-pacífico como vice-campeão e do Troféu José Finkel com índice para o Mundial de Piscina Curta, tirei uma semana de descanso para repor as energias e, logo em seguida, voltei às fortes cargas de treino. Para minha surpresa tive alguns probleminhas de saúde, pois uma forte laringite seguida de uma faringite me tiraram na véspera do embarque do Campeonato Sul-americano, na Argentina. Isso me custou

caro, pois foram 12 dias de antibióticos, 10 dias fora dos treinamentos e ainda perdi 2 kg de massa magra enfim, isso me custou a dispensa do Histórico Campeonato Mundial. Porém, priorizei o Torneio Open visando garantir índices nas minhas provas em piscina longa e nadar nas principais competições em 2015.

Confesso que a competição não foi 100% do que esperava, pois na primeira etapa tive um tropeço nos 100m costas ou melhor, uma escorregada feia na saída e nadei para 55’8. Confesso que não foi o que esperava, pois a placa influenciou no meu resultado, porém… “tudo bem”.

DSC_0740

DSC_0913

Na segunda etapa, os 200m costas que é minha segunda melhor prova tinha outra chance e estava muito confiante para melhorar meu tempo e fazer o forte índice 1mim58’22. Mais ligado nas “danadas” e lizas placas, nadei a eliminatória para me classificar e a tarde atacar o índice. Na prova, saí bem e nadando bem técnico desde o início até a metade da prova lá estava eu fazendo tudo certinho, passando forte e agressivo, atacando bem nas viradas, enfim…. cheio de vontade. Passei os 100m para 57’4, virei os 150m para 1min27’4, que foram os melhores parciais da minha vida até então, mas nos últimos 50, a casa CAIU hahahahah. Senti bastante aquela queimação nas pernas e tentei buscar, mas o corpo não respondia. Comecei a sentir meu corpo cansado e percebi que não estava 100%, porém tentando levá-lo a um esforço além do que consegui preparar nestes últimos 2 meses de recuperação e de treinos. Foi um final de prova com a mente puxando o corpo…. travou tudo e acho que quase não termino a prova rsss…..

DSC_0048

Na terceira etapa veio a surpresa: Superação! Pela manhã, confesso que fui para os 400m livres com receio do tempo, mas sempre acreditando e com uma simples frase na minha cabeça e que levo sempre comigo “O campeão tem que saber sair de situações difíceis”, e foi isso que eu fiz, seguindo meu sentimento e com cabeça forte com o que tinha: nadei meu melhor 400m livres da carreira para 3min50’37 novo recorde Brasileiro e bem perto do sul-americano que é de 3min50’ 01. Fiquei feliz e motivado para minha prova principal. Na minha cabeça, o tico e o teco tinham se entendido, pois até então já tinha vencido o conflito interno entre corpo e mente e sem olhar os resultados do começo da competição. Pensava só no ia fazer e motivado pelas barreiras que tinha quebrado para nadar bem os 200m borboleta porém, seria a última etapa. Acordei confiante que poderia fazer e de manhã venci a prova, pois nadei tranquilo para 1min59’9, resultado que me animou ainda mais para a tarde.

DSC_0930

Para a final, eu estava pronto pois minha mente me fazia acreditar que conseguiria fazer o que tinha planejado, porém naquele momento, meu corpo me dizia o contrário. Fiz um bom aquecimento, fui para o balizamento ouvindo minha musiquinha e tentando deixar a cabeça vazia e fazer o que tinha treinado. Subi no bloco, olhei para minha raia, e pulei n’agua determinado a fazer o melhor tempo da temporada. Fui, voltei, fui de novo e para fechar os 200m com meu corpo ardendo todo, e já no finalzinho tentei bloquear as três últimas braçadas e pensei: ufffaaaa, acabou…rsss. Ao chegar, olhei para o placar, vi o tempo de 1min56’93, e ainda estava com um sentimento estranho de tristeza e alegria…sei lá. Fiquei muito chateado, pois piorei quase 2 segundos do meu melhor tempo, mas feliz por ter atingido o índice para o Mundial de Kazan e Pan-americano em 2015. Tentando controlar as minhas sensações e emoções tirei a touca, e segui em direção à borda da piscina, mergulhando raia por raia e pensando no que eu ia falar na entrevista para a repórter que estava alí, logo na saída da escada.

DSC_0753

 

DSC_0712Nesses anos de esporte aprendi que corpo e mente tem que estar SEMPRE entrosados e falando a mesma coisa, e que as vezes só a mente nos faz fazer coisas fantásticas, porém nem sempre temos o mesmo resultado pelo simples motivo de acreditarmos que somos capazes e o corpo também tem que estar pronto. Naquele momento, aceitei meu resultado, comecei então a olhar o excelente ano que tive, das muitas glórias alcançadas, momentos bons e ruins e olhar para frente. Agradeci a Deus, olhei sorrindo para a repórter e procurei falar coisas boas e positivas, agradecer a todos que me ajudaram chegar até aqui. Assim é a vida.

DSC_0808

DSC_0820

Estou orgulhoso do que fiz, pois finalizo a temporada como 6º colocado no Ranking Mundial nos 200m borboleta e  com 2 índices para o Mundial de Kazan e para o Pan-americano 2015, e o melhor de tudo: “Uma vontade absurda de treinar e me preparar ainda mais para conquistar meus objetivos”.

DSC_0999

É isso ai pessoal grande abraço e espero que tenham gostado do último Visão de Atleta de 2014, um pouquinho diferente e espero que tenham gostado, Valeuuuuu….

Leonardo de Deus.

About the Author

By leogdeus / Administrator on Dez 21, 2014

No Comments

Leave a Reply